Rocketwp

5 Dicas infalíveis antes de começar com WordPress

COMPARTILHE ESTE POST

Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter

O WordPress é a maior plataforma de criação de sites no mundo. Atualmente,  sistema está presente em mais de 34% de todos os sites do planeta.

O WordPress é um CMS, sigla para “Content Management System”, ou “Sistema de Gerenciador de Conteúdo”.

O WordPress foi desenvolvido no conceito “Open Source” – “Código Aberto”. Desta forma, o sistema conta com apoio de uma comunidade amplamente atuante de programadores e desenvolvedores e recebe atualização e novos recursos a cada dia.

Atualmente o WordPress é usado por sites grandiosos no mundo todo como por exemplo o site da Casa Branca.

Saber WordPress não é mais um diferencial. É uma obrigação! E ter um site nesta plataforma também segue esta mesma linha.

Este post tem o intuito em dar uma luz para você que está em busca de se aperfeiçoar com WordPress e criar sites escaláveis, robustos, otimizados e sobretudo, profissional.

Continue lendo!

1. Escolha um bom nome para seu site

Embora esse passo não tenha necessariamente relação direta com WordPress em si, escolher um bom nome para seu site é fundamental.

Antes de você criar seu site, é necessário registrar o domínio que é o endereço eletrônico do seu negócio, como por exemplo: “www.rocketwp.com.br”.

Os domínios podem ter diferentes sufixos como “.com.br”, “.com”, “.net”, entre outros. A maioria das empresas de hospedagem de sites no Brasil possui o serviço de registro de domínios, mas o Registro.br é um dos mais conhecidos.

É muito importante que a escolha do domínio faça parte da sua estratégia Digital. Caso você já tenha um negócio estabelecido, claro, você deverá registrar um domínio com o nome do seu negócio.

Por exemplo: Vejam o caso do meu amigo Léo. Ele tem uma empresa chamada “De Grão Em Grão” e quer criar um site. 

A primeira coisa que veio na cabeça dele foi registrar o domínio: www.degraoemgrao.com.br. Mas antes de tomar esta decisão, você deve se fazer três perguntas:

  1. O nome é de fácil compreensão?
  2. O nome é curto?
  3. Este domínio está disponível para registro?

Vou destacar aqui ponto a ponto de cada uma dessas perguntas, ok?

O nome é de fácil compreensão?

Na primeira, e muito importante aliás, você deve observar se o nome do domínio será de fácil compreensão. Faça um teste! Mande um áudio por WhatsApp para alguns amigos e nesse áudio diga: “Fulano, eu quero fazer um teste e preciso da sua ajuda. Eu vou falar aqui um site e preciso que você escreva exatamente como você entendeu”.

E talvez nessa experiência você descubra que a compreensão da URL do seu site não seja tão boa assim.

Mas terei que mudar o nome da minha empresa?

Neste caso, você deve fazer uma reflexão do quão difícil o nome de sua marca é ao ser pronunciada por outras pessoas, mas eu compreendo que “matar” um nome de empresa, muitas vezes até já consolidada e conhecida, não é o caminho ideal.

Mas neste caso, a alternativa seria criar um nome mais simples ao registrar o domínio. No caso do “De Grão em Grão”, uma alternativa foi registrar o domínio “degrao.com.br”.

Lembre-se de que o boca-a-boca e os meios convencionais de divulgação podem ainda trazer tráfego direto para seu site. Além disso, a percepção que envolve marca/divulgação/publicidade/ e lembrança, pode fazer com que você gere mais tráfego direto ao seu site para pessoas que viram sua marca em algum lugar e lembraram-se da URL dele.

O nome é curto?

Outro fator que de certa forma está conectado com a dificuldade de pronúncia do domínio é a extensão da URL do site. Um domínio extenso dificulta e muito a geração de tráfego direto. Tentar criar variações mais curtas do seu domínio também é uma boa sacada.

Este domínio está disponível para registro?

Às vezes você tem uma certa decepção ao descobrir que alguém registro o domínio com o nome da sua empresa ou com o nome que você desejava. Sim, isso acontece e muito!

Aliás, não sei se você sabe, mas isso é um negócio! Quem há uns 20 anos atrás já sabia que haveria uma escassez de nomes disponíveis para registro, teve a iniciativa de registrar esses domínios de nomes mais comuns como “carro.com.br”, “marketing.com.br”ou até mesmo “negocio.com.br” com o intuito de vendê-los depois.

Aliás, há empresas especializadas nisso hoje em dia.

E neste caso, se você descobrir que o nome da sua empresa está registrada por outra pessoa ou outra companhia, dificilmente você vai conseguir persuadi-lo a vender ou doar para você.

Uma alternativa nesses casos é registrar o domínio com outra extensão. Vou explicar! No mesmo exemplo da empresa do Léo, caso o domínio “degrao.com.br” já estivesse registrado, ele poderia tentar registrar o “degrao.com”ou “degrao.net”.

Mas ainda assim, não seria a melhor das alternativas, pois no tópico abaixo eu vou explicar a importância de se registrar domínios com variações de prefixos.

Registro de domínios com variações de prefixos

Como você já sabe, existem diversos prefixos de domínios como “.com”, “.com.br”, “.net”, e por aí vai. 

É indicado, se possível, claro, que você registre também outros domínios com essas variações de prefixos. Como por exemplo:

  • www.degrao.com.br
  • www.degrao.com
  • www.degrao.net

Posteriormente, é só você definir qual desses será o seu principal e colocar um redirecionamento nos demais redirecionando para o seu domínio principal. (Se não souber fazer isso, abra um chamado na empresa onde seu site está hospedado que eles fazem isso para você).

Alternativas

Um dos exemplos que eu mais uso quando explico sobre essas alternativas paliativas é sobre a Companhia Aérea “Gol”. Na impossibilidade deles registrarem o domínio “www.gol.com.br“, eles registraram “www.voegol.com.br“. Uma sacada criativa e eficaz, embora paliativa.

“Às vezes não há solução, mas há alternativas.”

2. Contrate uma boa empresa de hospedagem

Bom, depois de registrar o domínio, você precisa contratar um serviço de hospedagem para seu site. As empresas de hospedagem, também conhecidas como Hosts, são basicamente empresas que alocam um espaço em seus servidores para que seu site seja hospedado.

Isso mesmo! Todos os sites estão alocados fisicamente em computadores. Mas não ache que são computadores como os que temos em casa. São super computadores, chamados de servidores e que possuem configurações avançadas para garantir que seu site fique o máximo de tempo no ar, o que chamamos de “uptime”.

Os locais onde esses super computadores ficam também não é um lugar comum. Cada empresa de hospedagem possui um espaço seguro, otimizado e customizado para garantir que nenhum fator extremo cause, por exemplo, o desligamento de um desses servidores, o que poderia causar uma queda de um ou mais sites.

Esses locais seguros e otimizados, onde os servidores que hospedam milhares de sites estão alocados, são chamados de “Datacenters”.

E voltando a falar do servidor, cada um possui uma configuração específica e quanto melhor for o desempenho do servidor que você hospedará seu site (melhor processador, melhor memória, etc), melhor será o desempenho dele, como o uptime, carregamento e requisição.

Por isso, cada empresa de hospedagem possui planos distintos e a cada plano você poderá utilizar um servidor melhor para que seu site seja hospedado. E claro, a cada plano, o valor também muda. 

Como escolher a melhor empresa de hospedagem?

Assim como qualquer contratação de serviço digital, a pesquisa ainda é a melhor forma de contratar um plano de hospedagem. Pesquisas em sites de reclamação como o ReclameAqui, por exemplo, dará a você uma noção de como as empresas se preocupam no pós atendimento de seus clientes, solucionando os problemas e atenuando insatisfações com problemas técnicos e administrativos.

A Hostnet, por exemplo, é uma empresa parceira de longa data e tem o selo de qualidade do ReclameAqui, mostrando como a companhia é eficiente no atendimento aos seus consumidores. Acredite, empresa de hospedagem sem problemas, não existe. 

Outros Hosts conhecidos e que vou destacar, são: Hostgator, Kinghost, Locaweb.

Qual plano devo contratar?

Essa é uma dúvida frequente por quem está iniciando no mundo de criação de sites com WordPress. Existem alguns tipos de hospedagem e vou destacar algumas delas aqui:

  • Hospedagem Compartilhada
  • Hospedagem Private
  • Hospedagem Dedicada

Hospedagem compartilhada

Geralmente, os hosts sequer dizem que determinados planos são de hospedagem compartilhada. Um plano de hospedagem compartilhada é basicamente um plano que irá reservar para seu site um espaço em um servidor junto com outros sites.

Mas não se preocupe! Isso não quer dizer que os clientes desses outros sites terão acesso aos arquivos do seu site ou vice-versa. Entretanto, todos os sites hospeados em um servidor compartilhado compartilham os mesmos recursos. Isso faz com que o desempenho do seu site despenque consideravelmente em comparação com outros planos.

Geralmente, os planos mais baratos são planos compartilhados. Então, sempre que você vir um plano com valor de R$4,99, R$9,00, R$19,00, provavelmente são planos de hospedagem compartilhada.

Talvez hoje, o tamanho e volume de tráfego do seu site não sejam tão altos ao ponto de você necessitar de um plano de hospedagem mais Rechonchudo, mas acredite, futuramente você poderá necessitar fazer um upgrade de plano para atender às demandas do seu site ou melhorar o desempenho dele.

Outro fator que você precisa ter atenção é que o Google para posicionar bem um site em seu motor de busca, leva em consideração a velocidade do seu site e como a velocidade do site está diretamente ligado ao desempenho do servidor, sabe o que pode ocorrer, né?

Você pode ter seus resultados orgânicos de busca no google impactados negativamente por isso. Pense nisso!

Hospedagem Private

Já as hospedagem private são servidores privados. Isso quer dizer que naquele servidor específico só terá seu site e claro, você usará individualmente e sozinho todos os recursos desse servidor.

Além disso, geralmente esses servidores permitem que você aumente, por contra própria e no seu dashboard de cliente, alguns recursos como a memória. Isso não é de graça, claro, mas geralmente você terá um leve aumento no valor que você paga por sua hospedagem.

Um simples aumento de memória melhora significativamente o desempenho do seu site.

Hospedagem Dedicada

Já a hospedagem dedicada é mais indicada a sites maiores, com muito tráfego e demanda de requisições. Os servidores dedicados são super máquinas capazes de “segurar” grandes volumes de tráfego e processamento. Esses planos permitem que o cliente customizem o ambiente onde o site será hospedado, alterando por exemplo o sistema operacional do servidor, o banco de dados que será utilizado, entre diversos outros recursos.

São configurações avançadas em que o cliente deverá ter um vasto conhecimento técnico.

Conclusão

Em suma, se eu puder indicar a você um plano, opte pelo plano Private Cloud, mas eu entendo que tudo depende do momento do negócio, e claro, das condições de investimento.

Ah, e tem um detalhe: Se você ainda não se sente seguro para contratar um plano de hospedagem, relaxe! O WordPress pode ser instalado em seu computador através de um aplicativo que simula um servidor em seu PC e com isso você pode instalar, customizar e ajustar todo seu site WordPress antes de decidir onde vai hospedar e qual plano vai contratar. Depois, é só migrar todo site do seu computador para seu servidor e você vai aprender isso no Meu Curso Gratuito, ok?

3. Use certificado de segurança SSL em seu site

Você já percebeu que em alguns sites que você acessa, na barra de endereço do navegador antes da URL aparece um cadeado? isso indica que aquele site possui um certificado de segurança.

O SSL, sigla para “Secure Sockets Layer” é um tipo de segurança digital que permite a comunicação criptografada entre um site e um navegador.

Em suma, se seu site não possuir esse certificado de segurança, ele está mais vulnerável e enfraquecido contra ataques cibernéticos.

A maioria dos Hosts trabalha com o SSL e muitos deles oferecem o serviço sem custos.

A Hostnet e a Hostgator, por exemplo, oferecem este serviço sem custos em determinados planos.

Mas se você já possuir um site e o seu host não oferecer o certificado de segurança gratuito, há uma solução que você pode usar. Trata-se do “Let’s Encrypt“, uma solução profissional e gratuita de certificado SSL.

Você poderá solicitar ao suporte do seu host, por exemplo, que eles instalem o SSL do Let’s Encrypt em seu site.

A única desvantagem de usar este recurso gratuito é que de 3 em 3 meses você terá que renovar o certificado e repetir o processo, solicitando novamente o seu host para que eles alterem o seu certificado.

Acesse aqui e saiba mais: https://letsencrypt.org

SSL e SEO

O que é SEO? “Search Engine Optimization” é um conjunto de regras técnicas e estratégias para estruturar seu site com foco na otimização dele para que ele fique bem posicionado nos mecanismos de busca como Google, Bing, Yahoo, entre outros.

O Google adora SSL. Quando ele oferece um resultado para você durante uma pesquisa do Google, ele quer que a sua experiência seja a melhor possível. Desta forma, ele designa os resultados que são mais relevantes para você de acordo com a “palavra-chave” que você pesquisou.

Mas as predileções do Google não param apenas na experiência do usuário. Ele também quer que seus usuários acessem sites seguros e por isso ter um SSL instalado em seu site fará com que você ganhe pontos valiosos com o Google e certamente você estará um passo à frente de outros sites sem SSL.

Isso faz com que você consiga performar bem seu site no Google e gerar mais tráfego orgânico.

“A escolha definitiva da empresa de hospedagem onde seu site ficará é fundamental também no quesito SEO. Digo isso, pois se por ventura você decidir migrar seu site de uma empresa de hospedagem para outra depois do seu site já estar performando bem no google, poderá afetar profundamente os seus resultados de trárego orgânico nos buscadores. Portanto, minha dica é: Pesquise bem e tente escolher um Host definitivo para não colocar todo seu trabalho e o desempenho de tráfego orgânico do seu site em risco”
– Felipe Cardozo

4. Desenhe seu site num papel

Quando eu digo para você desenhar seu site em um papel, não me refiro ao desenho visual dele, o que chamamos de wireframe ou template. Ainda que você possa já fazer isso, não é o que eu vou citar nesse tópico.

Quando eu me refiro a desenhar seu site, estou falando da hierarquia de conteúdo que ele vai ter. O conteúdo é uma parte importante de sua estratégia digital. Talvez você já tenha lido “Conteúdo é Rei”. E de fato, é!

O conteúdo é de suma importância quando você desenha sua estratégia de SEO para atrair mais tráfego para seu site. E mais, o conteúdo também é importante para você oferecer uma melhor experiência do usuário em seu site e te ajudará a preencher lacunas com foco em converter visitantes em clientes.

Imagine um cenário onde o visitante entra em determinado site e não encontra o que procura? Ou ainda, encontra, mas o conteúdo está descontextualizado e mal redigido.

Outra coisa é que o papel é a forma mais simples que você pode fazer, mas existem softwares e ferramentas que permitem você fazer isso também.

Portanto, antes de começar, desenhe em um papel (ou software) alguns tópicos sobre seu negócio. Como um negócio tem a missão de solucionar um problema do seu cliente alvo, você pode começar este desenho com alguns itens:

Quem?

Analise quem é sua persona (seu avatar). A persona é o arquétipo do seu melhor cliente. É aquele cara que você quer muito que ele chegue ao seu site ou seu negócio, mas ainda não é seu cliente, mas é o perfil ideal de acordo com seus critérios de “melhor cliente para meu negócio”. As personas devem ser definidas por você de forma bem realista, como por exemplo:

A persona do “De Grão”, foi desenhada da seguinte maneira:

João, 32 anos, casado, quer uma vida saudável e busca produtos orgânicos para consumir em casa. Não tem tempo e por isso necessita de um serviço que garanta a ele entrega automática todos os meses dos produtos em sua residência. Ele tem um poder aquisitivo razoável e não se preocupa em pagar caro por um produto orgânico.

Por quê

Pergunte-se o motivo pelo qual você criou este site. Quais são os objetivos com ele e qual a forma de você torná-lo bem explicativo, atrativo e persuasivo à sua persona.

Exemplo:

Por que eu criei o site “degrao.com.br?”

Resposta: Eu criei o site porque eu necessitávamos ampliar nossos produtos orgânicos para nossa região e criar anúncios levando os usuários para o site.

Também criamos o site porque temos a necessidade de performá-lo bem em determinadas palavras-chave no Google, angariando assim tráfego orgânico para nosso negócio e o blog que iremos criar, pois queremos nos tornar autoridade em alimentos orgânicos no país. Também tínhamos a necessidade de criar uma página customizada com foco em pedidos online, onde iríamos enviar nossos produtos para a casa do cliente e ofereceríamos um plano de assinatura onde nossos clientes pudessem receber nossos produtos todos os meses no conforto do seu lar.

O que

Exemplo:

O que o visitante do meu site espera encontrar no meu site?

Resposta: Os visitantes desejam encontrar vídeos explicativos, mostrando qual a importância dos produtos orgânicos e como ele pode afetar positivamente a sua saúde.

Ele também deseja que o site tenha uma seção explicativa onde catalogamos nossos produtos orgânicos, mostrando todos os seus benefícios para a saúde.

O cliente também quer acesso rápido aos nossos planos e suas condições, e se possível, uma página detalhada chamada “Como funciona”, onde explicaremos ele com textos, imagens e vídeos (se possível) como funciona nossos planos customizados de produtos naturais e orgânicos.

Ah, e ele também vai se interessar nos últimos posts do nosso blog na home do site para que ele possa ler e aprender mais sobre os produtos orgânicos e seus benefícios.

Viu só? Com um simples mapeamento, já conseguimos informações suficientes que farão com que criemos a hierarquia de nosso site com foco em alta conversão.

Eu sei que analisar tudo isso não é simples, mas também não é um bicho de sete cabeças. Aliás, pesquisas com seus clientes ou com seus avatares poderá ajudar e muito nesta tarefa.

O exercício que você deve fazer é olhar para seu negócio como se você fosse o seu melhor clientes e se fazer essas perguntas. Indo mais além, é fundamental que você acesse os sites de seus maiores concorrentes ou os concorrentes que estão em um patamar maior do que você e que servem de inspiração. Mas acesse com a ótica de cliente, como se você fosse o cliente potencial deles em busca de solucionar algum problema.

Anote tudo que você encontrar de importante, mas sobretudo, anote tudo que você não encontrar (ou não encontrar facilmente) e que você acha que é importante para o negócio e para seus clientes.

Feito isso, você terá mais informações para inserir na sua hierarquia de conteúdo do site e preparar a base de criação de sua página.

Como

Exemplo:

Como eu vou solucionar o problema do meu cliente?

Resposta: Nosso site será responsivo e leve, clean e com cores que geram a sensação de um ambiente leve e saudável. Ofereceremos alguns planos para que os clientes possam assinar e usaremos um serviço SAAS para gerenciar essas assinaturas e receber os pagamentos automaticamente todos os meses.

Iremos fazer vídeos explicando as diferenças entre cada plano e também suas vantagens.

Em cada página, explicaremos sobre cada produto e iremos “lincar” com o plano ideal e também exibir os posts do Blog que tem relação com os produtos daquela página.

O cliente receberá seus produtos em sua casa, já que ele não tem tempo, mas ainda assim quer se manter saudável.

Ah, iremos inserir no rodapé de todo site e no topo, um botão levando o visitante para o WhatsApp e também colocaremos botões de nossas redes sociais para criar engajamento entre marca e consumidor e ainda gerar uma conexão social entre empresa e cliente.

Com práticas como essas, você desenvolverá seu site com os conteúdos essenciais e indispensáveis para sua persona.

5. Crie e atualize as redes sociais do seu site

“Mas Felipe, vamos falar de WordPress ou de Redes Sociais?”.

Talvez você tenha feito esse questionamento mentalmente e eu acho normal.

Parece óbvio, mas grande parte dos meus alunos que ainda não criaram seu site ou ainda, grande parte dos alunos que já tem um site no ar, mas não desenvolveram uma estratégia digital com foco em comunicação e engajamento com público nas redes sociais não dá a atenção devida para as suas redes sociais ou redes sociais da sua empresa.

Quando seu site for lançado, você poderá conectá-lo com suas redes sociais de várias formas e usando diversos recursos com WordPress.

Ter apenas os botões das suas redes sociais no site não é mais um diferencial. Seu desafio será levar para essas redes sociais, conteúdos do seu site respeitando a peculiaridade e particularidade de cada rede.

No Facebook, no Instagram, Youtube ou Linkedin há um público segmentado querendo consumir seu produto ou serviço.

Essas ações e estratégias também podem fazer parte das análises da hierarquia do seu site. Seguindo o mesmo exemplo de nossa empresa fictícia (De Grão em Grão), mapearíamos assim:

  • Inserir botões das redes sociais em todas as páginas
  • Inserir na página de cada produto um vídeo do youtube com a apresentação daquele produto
  • Colocar um Widget do Instagram na barra lateral do site
  • Um botão do WhatsApp no topo e no rodapé
  • Contratar uma empresa de E-Mail Marketing para me comunicar com meus clientes

Mas isso atende apenas a demanda do site. Estruturar suas ações sociais vai muito além disso, como:

  • Criar uma Websérie no Youtube falando a cada quinze dias sobre um produto e os benefícios dele
  • Postar no Instagram fotos de produtos que vendemos
  • Marcar no LinkedIn e no Instagram as empresas que compram nossos produtos em nosso plano Corporativo
  • Enviar junto com os produtos um cartão sugerindo que os clientes marquem nossa hashtag com uma foto do produto que chegou em sua casa
  • Fazer sorteios mensalmente em nossos canais sociais e criar um post do Blog com uma entrevista do ganhador do sorteio

Ah, e claro: Mantenha todas as suas redes sociais atualizadas. Se for ter redes sociais só para ter, então é melhor nem ter 😛

Ah, outra coisa: Nada de envolver sua rede pessoal com sua empresa. Crie redes sociais específicas e individuais para sua empresa.

Também evite usar fotos comerciais e superficiais para postar nas redes sociais (aquelas que você compra no Istock, por exemplo).

Prefira vídeos e fotos de pessoas reais que trabalham com você ou que fazem parte de sua empresa. Ações como essas tendem a gerar mais engajamento e obter maior alcance social nas plataformas como Facebook e Instagram.

E por aí vai!

O planejamento é importantíssimo e criar todo esse fluxo antes de efetivamente colocar seu site no ar, fará com que você inicie seu negócio digital com o pé direito.

Conclusão

O Planejamento do seu site é fundamental para escalar o sucesso dele. Algumas das dicas citadas aqui podem ser aplicadas ainda que você já tenha seu site no ar. Mas é fundamental manter essa pegada de organização, produção de conteúdo e frequência nas postagens do blog e redes sociais.

Estar na internet vai muito além de ter apenas um site! É saber, sobretudo, como solucionar o grande problema do seu cliente e atender suas demandas diárias de consumo e solução.

Quando este usuário chegar até seu negócio, se você souber como solucionar os seus problemas, e mais, se você souber explicar para ele como você faz isso bem, você terá sucesso em seu negócio.

Não basta somente ter a solução! Você tem que apresentá-la bem, com autoridade e para isso você precisa ter um site bonito, profissional, otimizado, rápido e eficaz.

Bons estudos!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
JUNTE-SE A MAIS DE 5.000 PROFISSIONAIS

Receba periodicamente em seu e-mail conteúdos sobre WordPress, Design, Marketing Digital e Negócios. 

Felipe Cardozo

Felipe Cardozo

Fundador do MX e desenvolveu diversos cursos para o portal. Além disso, também é publicitário e criador do MX Masters e Video Aulas Brasil, ama tecnologia e como filho de pais professores, não poderia deixar de ser e compartilhar imediatamente tudo que aprende!